Dicas Canadá Archives | Canada Immigration Service | E-Visa Immigration

Dicas Canadá
Motivos para sonhar em ter uma vida no Canadá não faltam: Melhor qualidade de vida, educação de excelência, diversidade cultural, melhores perspectivas de trabalho. Mas o que você precisa para tornar esse sonho em realidade?

Quando você já possui uma qualificação e experiência em um determinado campo de atuação, a lógica é que você queira dar continuidade à sua carreira. Contudo, principalmente para aqueles de áreas como saúde, contabilidade, direito e engenharia, pode ser um processo um tanto longo e desafiador. Por isso, você pode contar com o apoio da e-Visa Immigration do começo ao fim!


Passo a passo

Planejamento


Antes de tudo, é necessário planejamento! Para evitar dores de cabeça desnecessárias, recomendamos começar a coletar informação e preparar os documentos o quanto antes.

Segundo, você deve se informar sobre os requerimentos de sua profissão para a sua província de escolha – sim, as exigências são em nível provincial, ou seja, cada uma pode seguir suas próprias regras. Por isso, você só pode aplicar para tal a partir do momento que decidir em qual província vai morar.


Profissões regulamentadas

Para profissões regulamentadas no Canadá, é necessário que você obtenha uma licença ou certificado específico que lhe permita trabalhar em solo canadense, além do work permit válido. Tais documentos serão emitidos pela instituição regulatória da província de sua escolha. 

Algumas das profissões regulamentadas são nas áreas de saúde, direito, finanças, engenharia, entre outras.

Já em profissões não regulamentadas, não é necessário um certificado e você já pode começar a trabalhar assim que chegar ao Canadá – com um work permit válido, é claro. 

Algumas dessas profissões são: Marketing, Administração, Tecnologia da Informação.

Você pode checar a sua profissão e suas regulamentações nesse site.


Qualificações e credenciais

documentação


O seu primeiro passo deve ser traduzir (com um tradutor juramentado) suas credenciais brasileiras (como diploma e histórico escolar) e ter a certeza que são reconhecidas pelo governo canadense. Tal processo de reconhecimento depende de sua ocupação a da província na qual pretende trabalhar, mas há algumas regras e documentos gerais que você deve considerar:

Educational Credentials Assessment (ECA): É utilizado para verificar que a credencial de seu curso, diploma ou certificado é válida e qual sua equivalência no Canadá.

Verification of Work Experience: É utilizado para provar sua experiência de trabalho anterior. Normalmente envolve cartas de recomendação de antigos empregadores, comprovante de imposto de renda e holerites.

Algumas províncias e/ou empresas podem pedir ainda proficiência de línguas e testes específicos de competência.

—–

Conte com a e-Visa para traçar a melhor estratégia o seu Plano Canadá – e garantir que você tenha todos os documentos necessários.
0

Dicas Canadá
Cachorro, gato, passarinho, tartaruga – eles também fazem parte do seu #PlanoCanadá! Confira aqui depoimento de quem trouxe o melhor amigo do Brasil e algumas dicas e procedimentos necessários para trazer o seu animal de estimação para viver junto com você a experiência no Canadá.


Passo a Passo: Regras e procedimentos necessários.


Seja qual for o seu pet, há um caminho para trazê-lo para o Canadá. Contudo, os procedimentos e regulamentações dependem de fatores como espécie, raça, tamanho, idade, entre outros. Aqui apresentaremos as regras gerais para o embarque de animais de estimação, mas você pode checar regras específicas para cada espécie no site oficial do governo canadense.

O primeiro passo é ter certeza que você tem em mãos a documentação necessária para a viagem de seu animal de estimação, e que todos os documentos tenham sido emitidos por um médico veterinário registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária. Além disso, para que um bichinho de estimação possa fazer uma viagem internacional, a apresentação do Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) é obrigatória – para obtê-lo, você deve agendar um horário com um médico veterinário do Ministério da Agricultura em um dos consultórios localizados nos aeroportos internacionais. 

Você também precisará apresentar a confirmação da vacina antirrábica. Esse documento, além de ter sido emitido por um profissional veterinário devidamente registrado, deve estar em inglês ou francês, e com informações que identificam o animal em questão, como raça, idade, cor, sexo e peso.

Atenção: A vacina deve ter sido aplicada com mais de 30 dias do embarque e sua validade é de um ano.


Meu pet vai junto comigo?

Pet no aviao

Outra decisão muito importante a ser tomada é a data de embarque do seu pet. Ele irá no mesmo vôo que você, ou prefere que ele venha algum tempo depois?

Se escolher a primeira opção, há algumas coisas que você deve manter em mente: Existe um limite máximo de carga viva permitida por vôo (varia, mas normalmente, são 2 por vôo), por isso, para trazer o seu animal de estimação para o Canadá, você precisa fazer a reserva com antecedência na companhia aérea. Cada uma delas possui suas próprias regras específicas para o embarque de animais, mas no geral, essas normas são parecidas:

Para viajar na cabine, o pet deve ficar dentro da caixa de transporte o tempo todo, que ficará embaixo da cadeira do passageiro da frente. Para que seu pet possa embarcar junto com você na cabine, o peso do animal somado com o peso da caixa de transporte não podem ultrapassar 10 kg. 

Caso ultrapasse esse peso, o animal será levado no transporte de carga. Mas não se preocupe! Seu amigo estará bem confortável – os compartimentos de carga modernos são pressurizados e possuem controle de temperatura.

Se decidir trazer o seu animalzinho em uma data diferente, recomendamos a contratação de uma agência de viagens especializada em animais de estimação, assim, seu pet não estará sozinho e será bem cuidado o tempo todo.


Como é feito o transporte?


A caixa de transporte deve ser fornecida pelo dono do animal, e também deve seguir algumas diretrizes: Seu tamanho deve permitir que o pet fique em pé e consiga dar uma volta completa ao redor de si mesmo. O material deve ser rígido, com um fecho de qualidade, o suficiente para proteger o animal em caso de impactos, assim como impedir a fuga deste. Além disso, o piso da caixa deve absorver ou no mínimo reter as fezes e urina, de modo que não vazem. Porém, a recomendação é que o animal não faça a ingestão de comida ou bebidas antes e durante o vôo para evitar acidentes gastrointestinais.

Atenção: A grande maioria das companhias aéreas não autorizam o transporte de cachorros de focinho curto (braquicefálicos), como pug, maltes, e pitbull. Essas raças, por conta dos problemas respiratórios, sofrem com mudanças de temperatura e podem passar mal durante a viagem.


O uso de calmantes


Muitos acreditam que devem dar algum tipo de calmante para o animal para que ele tenha um vôo tranquilo. Nada disso – essa prática inclusive pode ser prejudicial ao animal, visto que a variação de pressão da cabine durante o vôo faz com que o efeito do remédio se potencialize – o que pode causar consequências graves ao pet. Por isso, se durante o check-in o oficial desconfiar que o animal está sob o efeito de drogas, não será permitido o embarque.


Custo


Para a companhia aérea, o custo adicional para o transporte do animal é normalmente calculado de acordo com o peso do animal e da caixa de transporte e comparado ao preço cheio da passagem. 

O governo canadense também exige uma inspeção do animal – para a checagem dos documentos e vacinas. As taxas atuais estão em torno de CAD $30 para o primeiro animal e CAD $5 para cada animal adicional.


A viagem de Argos


Podemos fornecer todas as informações oficiais, mas nada como ouvir de quem passou por isso na pele, não é verdade? Nossa cliente Tais L. é a mãe de um Yorkie fofíssimo chamado Argos. Quando ela decidiu tirar o #PlanoCanadá do papel, deixar o Argos de fora não era uma opção.

Para ter certeza do caminho a seguir e juntar todas as informações necessárias, Tais contou com as mídias sociais “Pesquisei bastante em diferente grupos no Facebook – inclusive, existem grupos específicos de brasileiros donos de pet no Canadá! – e consegui juntar bastante informações sobre quais companhias aéreas aceitam doguinhos na cabine e os pré requisitos”. Lógico, a internet e as mídias sociais não levam em conta a particularidade de cada animal de estimação, por isso, Tais também recorreu à veterinária do Argos, que para facilitar, já tinha experiência e estava acostumada com o processo de levar pets para o exterior.

Pode parecer complicado demais, mas Tais garante que é um processo bastante tranquilo. Mesmo a microchipagem, uma prática bastante comum na América do Norte, em que um chip subcutâneo é inserido no animal como forma de identificação, caso ele se perca ou fuja, não é obrigatória para viajar com o seu pet. Além disso, a maioria dos pets são isentos do período de quarentena. 

Os únicos preparativos que você deve ter antes de embarcar com o seu animal de estimação são: documento provando que as vacinas estão em dia, com um laudo datado do veterinário, e esse laudo deve ser levado no Ministério da Agricultura do aeroporto de 2 a 10 dias anteriores à data de viagem, para que o CZI seja emitido. Mas Tais dá uma dica preciosa: Eles trabalham com agendamentos, então não deixe para última hora!

O planejamento com antecedência também é essencial para garantir a passagem do seu melhor amigo. Não são todas as companhias que aceitam levar animais, e as que aceitam, possuem vagas limitadas por vôo – por isso, é bom comprar as passagens o quanto antes!



Planejamento feito, passagens e documentos em mãos, e chegou o grande dia! Dia 31 de janeiro de 2018, Argos estava pronto começar sua nova vida em Vancouver. Como o peso dele mais o peso da caixa de transporte não ultrapassava 10 kgs, ele veio na cabine, juntinho de Tais. Mas antes de embarcar, ela fez de tudo para seu filho ficar o mais confortável possível: eles passearam e correram juntos para que Argos ficasse bem cansadinho e (esperançosamente) dormisse durante a viagem. Tais também comentou que Argos ficou em jejum por algumas horas antes do vôo para evitar que ele fizesse suas necessidades no avião – e além disso, avisa que em hipótese alguma leve comida para seu animal “é proibido entrar com ração no país”.

Durante a viagem, Taís admite que Argos não ficou comportado por completo. “Ele teve que ficar dentro da caixa e no chão o tempo todo, e tinha horas que ele se agitava um pouco, acho que queria atenção. Eu conseguia distraí-lo, mas confesso que quando o avião pousou foi um alívio para nós dois”.

E a nova vida em Vancouver? Tanto Argos quando Taís adoram! “Ele já chegou adaptado! Não estranhou nada, muito pelo contrário. No Brasil ele não gostava de passear, eu ia levar e ele sentava. Aqui, caminha muito, no verão chega a andar 10km comigo! Ele mudou para melhor!”



Ela também dá algumas dicas das despesas de ter um animal de estimação no Canadá. Existe uma licença obrigatória que você deve pagar anualmente à prefeitura, que custa em torno de 45 dólares canadense.

Outra diferença em relação ao Brasil são os cuidados básicos: Aqui, produtos como vermífugo e anti pulgas não são facilmente comprados em pet shops – só um veterinário pode providenciá-los.

Além disso, um check-up anual custa em torno de 300 dólares canadenses. Você também a opção de adquirir um plano de saúde para o seu pet, mas isso fica à seu critério.



Se inspirou na história de Argos e está pronto para fazer essa jornada juntamente com seu animal de estimação? Então contate a e-Visa e garantimos a melhor estratégia de imigração para você e seu pet!
0

Dicas Canadá
A economia canadense está em crescimento, e com isso, as oportunidades de emprego no Canadá também estão aumentando. O seu sonho é trabalhar no Canadá? Então preste atenção nas diferentes formas de construir sua carreira em solo canadense e o que você precisa para tornar esse sonho realidade.
Algo que você deve manter em mente é que não há uma maneira de aplicar para uma permissão de trabalho (work permit) por si só – a solicitação deve estar atrelada a outro processo. Listamos as opções abaixo:


Sendo um estudante de um curso superior

Se você estiver em um programa superior (universidade ou college) reconhecido pelo governo canadense, nos períodos de aula é permitido trabalhar part time (20 horas por semana) e durante as férias, é possível trabalhar 40 horas por semana. Mas atenção: se você decidir “trancar” um período por conta própria, você não terá o direito de trabalhar full time!


Concluir um curso superior e já ter feito a matrícula para um segundo curso superior.

Student

O estudante tem a possibilidade permanecer no Canadá e de trabalhar full time por até 150 dias após o recebimento do documento certificando a conclusão do primeiro curso, desde que já tenha a carta de aceitação (LOA) do segundo curso que pretende fazer.


Sendo acompanhante (cônjuge) de um estudante de curso superior.

Desde que o seu parceiro/a esteja cursando uma universidade ou college, em um programa de pelo menos 8 meses, full time, em uma instituição pública ou um curso em nível degree (bacharelado ou masters) em uma escola particular, você tem o direito de aplicar para um Open Work Permit, que permite que você exerça qualquer profissão, full-time. Essa permissão de trabalho tem como validade o período de duração do curso do cônjuge.
No caso de seu parceiro precisar cursar um Pathway (preparatório de inglês acadêmico)  antes de iniciar os estudos superiores, você receberá o Work Permit, desde que tal programa aconteça na mesma universidade ou college onde o cônjuge fará o curso superior e ele possua uma CLOA (Conditional Letter of Acceptance).


Post Graduation Work Permit (PGWP)

O PGWP é uma permissão de trabalho para estudantes internacionais após a graduação em cursos de pelo menos 8 meses, full time, em uma instituição reconhecida pelo governo canadense com um DLI (Designated Learning Institution), pública ou um em nível degree (bacharelado ou masters) em uma escola particular. O período do Work Permit será concedido pelo oficial de imigração, no momento da sua aplicação para o PGWP e leva em consideração o tempo dos seus estudos no Canadá. O estudante pode fazer a aplicação em até 180 dias após o recebimento do primeiro do primeiro documento comprovando o término do curso. Esse tipo de permissão é uma ótima oportunidade para obter uma experiência de trabalho canadense na área escolhida. Se você quer saber mais sobre esse tipo de visto, pode conferir o nosso vídeo completo sobre o PGWP.


Tendo um LMIA.

handshake

O LMIA (Labour Market Impact Assessment) conta com o suporte de um empregador, ou seja, é uma oferta de trabalho (job offer) feita por uma empresa canadense. Para poder aplicar para o LMIA, o empregador deve comprovar para o Governo do Canadá que sua contratação é essencial e não está tirando o direito de nenhum nativo canadense pela vaga. Esse tipo de permissão normalmente tem a duração de 1 a 2 anos e está vinculado à empresa, posição e localidade em questão. Uma das vantagens desse programa é que uma job offer concede pontos extras no sistema de Express Entry – um dos principais métodos utilizados para imigrar para o Canadá.


Possuindo uma residência permanente.

Se você é um residente permanente do Canadá, sendo por um programa federal, provincial, ou Spouse Sponsorship, tem os mesmos direitos de um cidadão canadense (a não ser o passaporte e o voto nas eleições) – isso é, pode trabalhar full time no país.


Bridging Work Permit

Se você tem um work permit próximo do vencimento (nos próximos 4 meses) e está aguardando a resposta da sua aplicação para residência permanente, você pode pedir o Bridging Work Permit, que lhe dará o direito de continuar trabalhando full time até o veredito de sua aplicação for finalizado.


E quais documentos preciso para trabalhar no Canadá?



Seja part time ou full time, você precisa do SIN (Social Insurance Number) para poder trabalhar legalmente no Canadá. Mas sem estresse: O processo todo não deve levar mais do que 15 minutos. Basta você se dirigir até um Canada Service Centre com a sua documentação (passaporte, work e/ou study permit). Um oficial irá avaliá-los e providenciar o número na mesma hora.


Atenção:

Se você está no Canadá para um curso de Inglês, com um Visto de Turista ou eTA, NÃO é permitido trabalhar, part ou full time.

Existem outros opções de conseguir uma permissão de trabalho, como o Global Talent Stream e o Work Holiday Visa – mas são programas sazonais que nem sempre possui vagas abertas para brasileiros.

Está pronto para alavancar a sua carreira com uma experiência de trabalho canadense? Entre em contato com a e-Visa e um de nossos consultores traçará para a melhor estratégia para você!
0

Dicas Canadá
Há anos, o Canadá está no topo da lista dos países mais cobiçados como destino de imigração. Mas o que atrai os brasileiros para o país? E quais os desafios enfrentados por quem deseja imigrar para o Canadá? Conversamos com quem passou por isso para responder todas suas questões.


Segurança

Andar sozinho na rua, a qualquer hora, mexendo no celular – seria um sonho? A cliente Patricia G. diz que ficou impressionada com a segurança em Vancouver: “Minhas aulas terminavam às nove e meia da noite, bem no centro da cidade, e eu voltava a pé para casa. No começo, morria de medo – depois percebi que não precisava. Hoje, ando tranquila, com o computador na bolsa e celular na mão.” 

A cliente Estella C. conta que no Brasil sentia muito medo após certo horário: “Eu me mudei para próximo do metrô Saúde, em São Paulo, pra poder ficar mais tranquila de chegar em casa. Acontece que eram frequentes relatos de assaltos e abusos na região após às 20:00 e eu mesmo presenciei 3 assaltos em 2 meses. Comecei a sentir pânico de andar sozinha e o desejo de mudança me trouxe ao Canadá.”

Lógico que não é perfeito – incidentes ocorrem em qualquer lugar do mundo. Mas a polícia canadense é rigorosa e eficiente. Além disso, esses incidentes raramente envolvem violência – os registros são mínimos, geralmente ligados a rivalidade entre grupos.


Receptividade canadense

Sabe o estereótipo de que canadenses são muito educados? Não é sem fundamento! Lógico – não podemos generalizar, mas a verdade é que a população do Canadá é bastante aberta a novas culturas.  Toronto, inclusive, é uma das cidades mais multiculturais do mundo!

“É um país que foi povoado por imigrantes, então temos este vínculo muito próximo às pessoas de outras culturas, e acho que isso é um ponto bem caracterizado da personalidade dos canadenses”. aponta Anouk Bergeron-Laliberté, cônsul comercial no Consulado Geral do Canadá em São Paulo.


Organização

Nós brasileiros estamos acostumados à toda aquela burocracia na hora de resolver um problema, não é mesmo? Informações incompletas em sites oficiais, montante de papelada – sempre uma dor de cabeça! 

Pois aqui é bem diferente – caso você tenha dúvidas, mesmo após checar os sites oficiais – bem completos, por sinal – é fácil entrar em contato e ser prontamente atendido. A cliente Cassandra S. relatou que ficou confusa com as mudanças recentes do Sistema Público de Saúde de British Columbia (MSP) e mandou um email para o departamento: “Eles responderam muito rápido, e não foi aquela resposta automática, explicaram todas minhas dúvidas”.


Transporte Público

Olha só o mapa do transporte público de Vancouver e Toronto – e isso é só o metrô. É muito fácil se locomover pelas cidades do Canadá – dependendo da região, você encontra ônibus, metrô, trem, balsa e até bondes elétricos! Tudo em um sistema integrado e funcional. E mais: Os ônibus têm ar condicionado e aquecedor, espaço para carregar bicicletas, e um sistema hidráulico para a entrada de cadeirantes – assim como assentos especiais para idosos e pessoas com menor mobilidade.

O cliente Rafael T. conta a experiência com o transporte: “Em São Paulo tudo se media em horas. Quantas horas demora para chegar até o trabalho? Quantas horas demora até chegar na balada? Etc. Me acostumei em Vancouver a medir as coisas em minutos. Hoje, mesmo morando na grande Vancouver e longe das estações de Skytrain, eu levo cerca de 35 minutos para chegar no centro da cidade. E isso sem ficar empacotado dentro do vagão!”


Educação


Você sabia que o Canadá possui uma taxa de alfabetização de mais de 99%? O país tem um dos melhores sistemas educacionais do mundo – suas universidades são referência e atraem estudantes do mundo todo. A Universidade de Toronto, Universidade da Colúmbia Britânica, Universidade McGuill estão entre as 100 melhores do mundo.

E mais: O Canadá possibilita os estudantes internacionais a continuarem trabalhando após a formação, e tornarem-se qualificados para o mercado de trabalho canadense e uma eventual imigração. Para saber mais, confira o nosso vídeo com a consultora de imigração Aimê Moreira sobre o Post Graduation Work Permit (PGWP).

E não são apenas cursos superiores que têm uma boa reputação no país. O ensino fundamental e médio (chamados de elementary e high school no Canadá) também são de primeira linha – e o sistema está preocupado em formar não só estudantes e trabalhadores qualificados, mas cidadãos de bem. Se você pretende imigrar com filhos para o Canadá e quer saber tudo sobre o sistema de educação, você pode conferir o material completo sobre o assunto no nosso blog.


Sistema de saúde

Todos os moradores – sendo cidadãos do Canadá, residentes permanentes ou temporários, têm direito aos serviços de saúde do país – dependendo da província, é um sistema gratuito, com atendimento igualitário, ou seja, não importa seu status social ou nível de renda, todos serão atendidos da mesma forma! Se você quer conhecer mais sobre o Sistema de Saúde no Canadá, temos um blog post completo sobre o assunto!


Mercado de trabalho

A economia do Canadá cresceu bastante nos últimos tempos, e a previsão é que continue avançando nos próximos anos. Logicamente, o mercado de trabalho também se encontra em expansão – e se você é da área de Tecnologia da Informação, com a presença de grandes empresas tecnológicas como Microsoft, Amazon, Apple, SAP e Telusno país, oportunidades não faltam! Inclusive, um dos atrativos para nossa cliente Paula L. escolher o Canadá como destino foi exatamente a prospectiva do mercado de trabalho canadense em TI.

E a remuneração é justa: Independente da função, área ou carreira escolhida, você será devidamente reconhecido. Marina A. veio ao Canadá para estudos, e por conta da permissão de seu visto, trabalha apenas 20 horas por semana. Mesmo assim, ela consegue manter uma vida equilibrada: “Lógico que eu divido apartamento e não vivo em luxo, mas é bem possível viver de forma digna com o que eu ganho.”

E mais: não importa seu emprego, você será respeitado. A faxineira, o cozinheiro, a assistente, o funcionário, o chefe e o dono sentarão na mesma mesa e serão tratados na mesma forma.


Lazer

Há várias opções gratuitas de lazer para qualquer época do ano. No verão, pode  curtir um piquenique nos diversos parques públicos, e se aventurar nas trilhas nas montanhas, e dependendo da província de sua escolha, dá até para aproveitar uma praia! No inverno, que tal aprender a esquiar nas montanhas, ou simplesmente fazer bonecos de neve com os amigos e filhos?


Mas nem tudo são flores: o que você deve saber antes de mudar para o Canadá.

O custo de vida.

Sim, como já dissemos, é possível ter uma vida digna com o salário mínimo. Mas não espere que só porque seu salário é em dólares, seu poder de compra aumenta automaticamente. Principalmente cidades como Toronto, Montreal e Vancouver tem um alto custo de vida, então é preciso de um planejamento financeiro e de uma adaptação de estilo de vida.


A cultura social canadense.

Eles são educados e receptivos, mas não espere ser convidado para uma cerveja na casa de um canadense logo após conhecê-lo. Principalmente para nós brasileiros, a cultura do povo do Canadá de ser mais reservado e discreto pode conflitar um pouco com o “calor” brasileiro.


O recomeço

Se você é um diretor ou até CEO no Brasil, não espere imigrar para o Canadá e recomeçar do mesmo ponto. Lembre: você chegará aqui como um desconhecido, competindo com alguém que por muitas vezes, é um nacional canadense. Você precisa provar seu valor e trabalhar duro – isso não é algo ruim, mas é algo que você deve estar pronto a enfrentar. Nossa cliente Paula L. comentou que no começo achou um desafio dar um “passo para trás” em sua profissão, mas ainda assim se sente melhor aqui do que se sentia no Brasil.


A adaptação

A consultora Marilene Quintana sempre lembra seus clientes sobre o período de adaptação. “Normalmente, quando o cliente chega, nos primeiros meses, ele fica maravilhado, se sente no paraíso. Mas, depois de 6 meses a 1 ano no país, vem o período da nostalgia, a falta do que ficou para trás no Brasil – nessa hora é até bom visitar as terras brasileiras para lembrar o porquê decidiu sair. Geralmente, essa fase dura cerca de 2 anos – depois, a pessoa se sente em casa.

Está pronto para encarar os desafios e viver a vida que sempre sonhou em terras canadenses? Entre em contato com a e-Visa e marque sua consulta com um de nossos consultores credenciados e especialistas em vistos e imigração!
0

Dicas Canadá

O Canadá é conhecido por ser um país aberto aos imigrantes das mais diversas nacionalidades. Afinal, não é a toa que o país está nos seus planos futuros, não é mesmo? Mas se você é daqueles que gosta de dados e números, o governo canadense preparou um extenso relatório com informações sobre os movimentos migratórios, desde 2011 com projeções até o ano de 2036! E, como nosso objetivo é sempre facilitar a sua vida, juntamos as principais informações aqui para você.

Além de ser um dos países desenvolvidos com a maior parcela de pessoas nascidas no estrangeiro – ultrapassando os Estados Unidos e o Reino Unido – desde a Confederação do Canadá em 1867, a proporção de imigrantes nunca ficou menor do que 13% e teve um crescimento constante nos últimos 30 anos. E para 2036, o cenário não será diferente – 1 em cada 4 pessoas não serão nativas do Canadá, segundo a previsão:

Projecao 2036 Populacao Canada

Além disso, vemos que as províncias de Ontário, Quebec e British Columbia serão os principais destinos dos imigrantes, em particular as suas respectivas regiões metropolitanas de Toronto, Montreal e Vancouver. No gráfico abaixo, demonstramos as proporções de imigrantes esperadas para tais províncias e metrópoles:

Imigrantes por provincia

Como já colocamos, o Canadá é um destino de imigração muito popular – tanto que desde o final da década de 90, a imigração segue com a principal fonte de crescimento do país: Entre 2000 e 2011, 65% do crescimento populacional veio da chegada de estrangeiros no país. Para a projeção de 2012 a 2036 prevê que essa proporção se mantenha na faixa de 62% e 71%.

Além de novas pessoas chegando no Canadá, parece que não há muitos motivos para sair. Entre julho de 2015 e junho de 2016, enquanto 64 mil residentes saíram do país, mais de 320 mil migraram para o Canadá.

Imigração do Canada

Inclusive, temos cada vez mais conterrâneos imigrando para o Canadá. Só na região de Metro Vancouver em 2019, 1.275 brasileiros imigraram para terras canadenses, colocando o Brasil em sexto lugar em número de imigrantes da região: 


Já falamos sobre a criação de filhos no Canadá – e parece que cada vez mais, os recém chegados têm o interesse de estabelecer uma família no país. Chamamos de “second generation” aqueles nascidos no Canadá, com pelo menos um dos pais imigrante) – e em 2036, pelo menos 1 em cada 5 pessoas seria da população second generation – o que compreende cerca de 8.1 a 8.9 milhões de pessoas!

Se juntarmos a proporção de imigrantes com a população second generation, em 2036 teríamos quase metade da população com pelo menos um laço fora do Canadá. Mesmo considerando apenas a população economicamente ativa (com idades entre 15 e 64 anos), os imigrantes e second generation ainda representariam grande parte do Canadá, como mostram os gráficos abaixo:

Projecoes Imigracao 2036

Nas cidades de Toronto (Ontário), Vancouver (British Columbia) e Calgary (Alberta), inclusive, mais da metade de suas populações seriam de imigrantes ou second generation:

Imigrantes e Second Generation Canada 2036

Abaixo, temos os dados de 2011 da proporção de imigrantes de cada província e a principal região de destino desses imigrantes.
Por exemplo, no ano de 2011, 27.5% da população de British Columbia era composta de imigrantes, e dessa proporção, 76.5% escolheram a região de Vancouver como sua nova casa.

British ColumbiaAlbertaSaskatchewanManitobaOntarioQuebecNew BrunswickNova ScotiaNewfoundland and Labrador
Quer fazer parte dessa estatística?

Seja sua província ou objetivo, o Canadá está de portas abertas para você! Se quer fazer do Canadá sua nova casa, entre em contato com a e-Visa e inicie já seu planejamento personalizado com um de nossos consultores credenciados e especialistas em vistos e imigração.

0

Dicas Canadá

Para imigrar para o Canadá você precisa de um planejamento muito bem detalhado – e logicamente deve incluir a sua saúde!

É importante notar que cada província do Canadá possui uma certa independência, e assim, seu próprio sistema de saúde. Nesse post, vamos focar no MSP (Medical Services Plan), da província de British Columbia. Confira aqui se você tem direito a cobertura, como aplicar, custos e mais detalhes sobre o serviço!


Quem tem acesso ao Medical Services Plan (MSP)?

Não é apenas uma questão de poder ou não aplicar para o MSP – sim, é exigido por lei que todos os residentes elegíveis de British Columbia apliquem para o sistema público de saúde.

E quem são os residentes elegíveis? Bom, além de todo cidadão canadense ou residente permanente que more na província, estrangeiros com study ou work permit com validade superior a 6 meses também devem aplicar ao MSP – assim como seu cônjuge e filhos (até 18 anos, sem restrições; de 19 a 24 anos, apenas se estiverem estudando em período integral).

Para informações mais detalhadas sobre a elegibilidade do MSP, visite o site oficial do governo.


Quando devo fazer a aplicação?

Recomendamos fazer a aplicação assim que você chegar em British Columbia, pois existe um período de carência de 3 meses para receber a carteirinha do MSP e assim ter acesso ao sistema público de saúde. Por essa razão, também aconselhamos a cobertura de um plano particular para esses 3 meses iniciais – afinal, é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? 

Além disso, se você pretende viajar para fora de British Columbia, também é melhor que faça um seguro saúde para eventuais gastos: Existem acordos interprovinciais em relação à cobertura de sistema de saúde locais, contudo, há várias restrições.

Mas não se preocupe, a e-Visa está aqui para te ajudar com todos esses processos e informações – é só entrar em contato com a gente!


Como faço para aplicar para o MSP?



Está cada vez mais fácil – tudo é feito online através do site oficial do governo de British Columbia. Eles irão providenciar um formulário e pedir uma cópia digital de seus documentos (passaporte e permits válidos). Você receberá seu cartão e a fatura pelo correio, no endereço cadastrado no formulário.


Espera, fatura? É publico, mas tem que pagar?

Sim, em BC existe uma taxa mensal para ter acesso ao sistema de saúde. Pode parecer estranho, mas não é muito diferente do sistema brasileiro. Enquanto o Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil é bancado pela população através dos impostos, o MSP é bancado através dessa taxa, e não por impostos.

Sobre os custos, recentemente o governo divulgou mudanças que entrarão em vigor a partir de Janeiro de 2020. Confira as novas taxas:

  • – Estudantes Internacionais (com study permit) – $75.00 por mês.
  • – Crianças (com study permit) que acompanham os pais estudantes ou trabalhadores internacionais  – $75.00 por mês.
  • – Crianças (com visitor status) que acompanham os pais estudantes ou trabalhadores internacionais  – não será cobrada nenhuma taxa.
  • – Residentes Permanentes / Cidadãos – não será cobrada nenhuma taxa.
  • – Trabalhadores Internacionais (com work permit) – não será cobrada nenhuma taxa.

Como é a cobertura do Medical Service Plan (MSP)?

O MSP tem uma cobertura extensa, desde médicos clínicos gerais, exames, especialistas e cirurgias. Contudo, existem algumas restrições:

  • – Consultas com dentistas, oftalmologistas, fisioterapeutas e psicólogos.
  • – Cirurgias consideradas cosméticas.
  • – Medicamentos.
  • – Terapias complementares/alternativas como massagem, acupuntura, etc…

Para mais informações sobre a cobertura completa do MSP, acesse o site oficial do sistema de saúde canadense.


Estou doente, o que eu faço?

Getting medication in Canada

 

Diferentemente do Brasil, no Canadá você só vai no hospital se realmente for uma emergência muito grave – como um acidente ou algo do tipo. 

Caso você ainda não possua um médico de família (daremos mais detalhes mais para frente), você deve procurar uma das diversas Walk-In Clinics espalhadas pela província de British Columbia – essas clínicas nada mais são do que postos de saúde, onde você pode ser atendido sem agendar uma consulta. 

Você passará por um clínico geral primeiro, para um diagnóstico inicial – e SOMENTE caso esse médico determinar que você necessita de um especialista, você será encaminhado para um. É muito raro que você consiga um horário com um médico especialista sem ter um encaminhamento de um clínico geral ou médico de família.

Outro ponto importante notar sobre os cuidados com a saúde no Canadá é a questão dos medicamentos. Aqui, não é possível comprar a maioria dos remédios sem receita – caso você faça uso de um medicamento de forma contínua, traga uma receita com você (em inglês) e se dirija à uma Walk-In Clinic para que o médico te providencie com uma receita válida. Mas atenção, essa é uma solução provisória pois é importante que você tenha um médico de família que faça o seu acompanhamento.


Como assim médico de família?

O médico de família é uma figura essencial por aqui: Normalmente acompanha o paciente (e na maioria dos casos, a família toda) durante vários anos, e possui acesso à todo seu histórico de saúde. É ele que determinará quando e quais exames são necessários, assim como o encaminhamento para especialistas.

Com isso em mente, é bom notar que achar um médico de família pode ser desafiador, tanto para imigrantes recém chegados quanto residentes permanentes e cidadãos canadenses. Isso se deve à alta demanda de profissionais, ao mesmo tempo que existe uma carência de vagas para novos pacientes. 

Você pode fazer a busca de médicos através desse site: https://www.cpsbc.ca/physician_search

Contudo, se você não conseguir vaga com um médico de família imediatamente, não se desespere: Você pode continuar indo à uma Walk-In Clinic sempre que necessário.


Algumas curiosidades:

Doctors in Canada

Os médicos não trabalham para o governo. 

O sistema de saúde do Canadá é público, mas a grande maioria dos médicos trabalham de forma autônoma, ou seja, eles que decidem sua carga horária e onde irão trabalhar. Também são responsáveis pelo pagamento de seus empregados, pelo espaço que atuam e demais despesas – e recebem do governo apenas pelos serviços que prestam aos pacientes. Assim, os pacientes podem escolher o médico que desejarem, e tem os serviços de saúde básicos custeados pelo governo. 


Não existe pagamento direto para os médicos

Você não deve ser cobrado por nenhum atendimento médico: pagar para ter prioridade em consultas ou cirurgias não faz parte da realidade canadense. Alguns médicos podem cobrar taxas por atestados médicos ou consultas perdidas – essas opções são válidas pois não são serviços os quais eles recebem pagamento da província.




—————–

Pronto, agora que você já sabe como funciona o sistema de saúde público no Canadá, está pronto para colocar o seu plano em prática!

Entre em contato com de nossos especialistas em visto e imigração e agende sua consulta personalizada – vamos determinar a melhor estratégia para você viver o seu sonho!

 

0

Dicas Canadá
O Halloween chegou! O Dia das Bruxas é uma data muito popular em toda a América do Norte, celebrada tanto por adultos e crianças. A comemoração chegou na região por conta de duas ondas de imigração: a dos ingleses, século 17, e posteriormente, no século 19, a chegada dos irlandeses trouxe muitas das tradições de Halloween que ainda vemos hoje. E aqui no Canadá, uma dessas tradições é o Trick or Treating – as crianças também se divertem com as Gostosuras ou Travessuras!

Mas antes decorar sua casa, deixar o seu pequeno vestir a fantasia e sair porta afora em busca de doces – separamos alguns cuidados que você deve seguir ao comemorar Halloween no Canadá. E preste atenção, os primeiros cuidados começam dentro de casa:

A decoração

Decoração de Halloween Canadá
Aproveitar a ajuda e a criatividade das crianças na hora de decorar é tudo de bom! Contudo, é importante tomar algumas precauções – os enfeites podem ser até assustadores – mas não precisam machucar ninguém, não é mesmo? Vamos considerar a segurança não só de seus próprios filhos, mas também daqueles que irão bater em sua porta na noite de Halloween.

Vai fazer a própria abóbora? Seus filhos podem ajudar – mas permita que eles desenhem nela, e assuma você a parte de esculpí-la: objetos cortantes nas mãos de crianças não é uma boa combinação.

Uma abóbora acesa na noite de Halloween dá um toque especial. O efeito é lindo, mas que tal, ao invés de utilizar fogo – que pode causar um sério risco de incêndio – acender uma lâmpada pequena?

Nada de objetos pontiagudos, ou espalhados pelo chão de forma que alguém possa tropeçar e cair.

Novamente, no Dia das Bruxas o assustador é esperado, mas sua decoração não precisa traumatizar ninguém, não é mesmo? Mantenha o bom senso!

O bom senso também vale na hora de entregar os doces: Não invente moda! Os doces devem ser embalados individualmente e ter a lista de ingredientes na embalagem: lembre-se que algumas crianças podem ter alergias sérias à alguns elementos.

Se você por algum motivo não quer participar das comemorações do Halloween, no Canadá também existem regras para isso: a primeira opção seria não fazer a decoração de sua casa – aqui, se você não colocar uma decoração na sua porta da frente, as crianças são orientadas a não pedir doces.

Guiando o seu filho:


O Dia das Bruxas no Canadá pode ser muito divertido para qualquer um – mas é preciso estabelecer algumas regras e orientações para garantir a segurança, e claro, a diversão de todos.

Planeje a rota.

Na animação de coletar a maior quantidade de doces possível, não é difícil se perder no caminho. Por isso, converse com seu filho sobre qual trajeto seguir, quais ruas não entrar. Oriente-os a não caminhar por ruas que não estão bem iluminadas e nunca entrar na casa ou em veículos de estranhos em busca de doces.

É importante também lembrá-los de sempre tomar muito cuidado para atravessar a rua e olhar para os dois lados antes de seguir. Uma boa ideia também é fazer o uso de lanternas, pulseiras e acessórios que brilham no escuro, e assim ficar à vista de carros e veículos que estão trafegando pelas ruas.

Se seu filho é muito pequeno, procure acompanhá-lo durante o trick or treating do Halloween – ou mesmo se ele for grande o suficiente para não ter a companhia dos pais – aconselhe-o a sempre ficar junto com um grupo de amigos.

Nem todo doce é bom.

Crianças, cuidado com a ansiedade: nada de comer os doces antes de chegar em casa!
É sempre melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? Sempre cheque todos os doces que seu filho recebeu antes de permitir que ele os consuma: ele tendo alergias ou não. Da mesma forma que você não deve distribuir doces sem embalagem, não permita que seus filhos os comam!
A educação é essencial.

Sabe o estereótipo do canadense ser educado? Pois ele tem fundamento – e isso vale também para o Halloween! Oriente seus filhos a serem respeitosos, sempre dizendo “por favor” e “obrigado” na hora de coletar os seus docinhos. Além disso, embora no Brasil pode ser um pouco diferente, no Dia das Bruxas canadense, as crianças têm o costume de formar uma fila e aguardar o anfitrião entregar os doces, um por vez!

Como já mencionado, sem decoração na casa, sem doces! Em algumas casas, mesmo ainda contando com o enfeite de uma abóbora, mas ela não estiver acesa, pode ser que os doces do anfitrião já tenham acabado – não incomode quem não quer participar.

Aproveite as Gostosuras, mas cuidado nas Travessuras: Não importa a sua insatisfação, não seja mal educado, e muito menos danifique aquilo que é dos outros – atos como espalhar papel higiênico nas casas, por mais ingênuo que seja, não são permitidos.

A escolha da fantasia também é importante!


Fantasia de Halloween
Da mesma forma que alertamos em relação à decoração, também é bom manter a sensatez na hora de escolher a fantasia: O assustador é aceito, mas o aterrorizante ou inapropriado deve ser evitado. Faça o teste dos 20 anos: Se o seu filho, daqui 20 anos, ver uma foto dessa fantasia, ele mostraria para seus amigos e família? Se você ficar na dúvida, é hora de repensar.

Outra coisa para levar em consideração é a temperatura mais baixa das noites de outono – sim, a fantasia deve ser legal – mas também quente e confortável.

Evite usar roupas largas ou adereços como capas – são elementos que podem fazer com que seu filho tropece e se machuque.

Dê preferência a usar maquiagem ao invés de máscaras (lógico, depois de testar os produtos para reações alérgicas). Esses adereços podem prejudicar a visão e respiração das crianças. O uso de lentes de contato também pode ser potencialmente perigoso à visão: é melhor evitar.


Agora sim, com essas dicas, você e seus pequenos estão prontos para comemorar o Halloween no Canadá! Bom divertimento!

Quer participar dessa gostosura? Seu processo de visto e imigração não precisa ser assustador: Então entre em contato com a e-Visa que te auxiliamos durante todo o seu planejamento!
0

Dicas Canadá

Quer fazer de Toronto sua nova casa? Então é bom você ter em mãos dois mapas: um para cima e outro para baixo da terra! Você conhece o Toronto Path?


O que é o Toronto Path?


É uma grande rede de túneis que conecta diversos prédios comerciais do centro da cidade de Toronto, Ontário. Essa rede tem mais de 30 quilômetros de extensão e 371 mil metros quadrados, e liga o Terminal Toronto Coach até o Waterpark Place. Surpreso? Pois é, segundo o livro de recorde do Guiness, é o maior complexo de compras subterrâneo do mundo!

Além de compras, esses mais de 30 quilômetros compreendem diversos escritórios, hotéis, restaurantes, e até transporte público. Mais especificamente, são:

       – 1200 restaurantes
       – 75 prédios
       – 6 estações de metrô
       – 9 hotéis

Como você pode imaginar, são centenas de milhares de pessoas que fazem a utilização do PATH diariamente. Principalmente nos dias mais frios do inverno, muitas pessoas optam por não passar quase nenhum tempo ao ar livre – elas dirigem até uma estação, e pegam o transporte público através do PATH até o seu local de trabalho, fazendo o mesmo ao final do dia.

Toronto-PATH-map

E a verdade é que se você quiser, consegue fazer absolutamente tudo no Toronto PATH. Precisa de um médico cirurgião, um dentista? Sem problemas, só virar naquele corredor. Está tentando entrar em forma? Escolha uma entre as diversas academias espalhadas pelo caminho! Bateu aquela fome depois do treino? Bem-vindo à praça de alimentação! E não pense que vai encontrar apenas fast foods e restaurantes populares – uma das mais prestigiadas confeitarias da cidade, Nadège, possui uma filial no PATH, assim como o mercado gourmet McEwan – do celebrado chef Mark McEwan.


E quem teve a ideia?


Eaton-Toronto-Path


O primeiro túnel de passagem subterrâneo foi construído em 1900, quando a antiga loja de departamento canadense, T. Eaton Co, decidiu interligar duas de suas lojas no centro da cidade. A partir daí, outras lojas e companhias começaram a fazer o mesmo, e em 1927, com a inauguração da Union Station, uma nova passagem foi construída para ligá-la ao Royal York Hotel (agora conhecido como Fairmont Royal York). Contudo, foi na década de 70, com a finalização do túnel entre os centros de Richmond-Adelaide e Sheraton que o Toronto PATH alavancou e deu início à estrutura que conhecemos hoje.

O crescimento e popularização desse espaço subterrâneo foi tão grande que no final dos anos 80 o Toronto PATH ganhou apoio da cidade: em 1987, a Câmara Municipal tornou-se a agência coordenadora do PATH e passou a custear o design e construção.

Mas até então, os túneis não tinham um complexo próprio, ou seja – eram utilizados apenas como um espaço de transporte. O seu desfrute como centro de compras começou apenas em meados do século 20, conforme mais e mais pessoas passaram a utilizar a estrutura, e aí sim as grandes corporações e lojas viram o potencial no espaço.


E hoje?


Toronto-PATH


Se acha que já é suficiente – está enganado! O Toronto PATH está sempre em construção e expansão.

E você, tem curiosidade de se aventurar dentro desse labirinto subterrâneo?


Entre em contato com a e-Visa Immigration e teremos o prazer de te ajudar a ter essa aventura, por cima ou por baixo da terra! Temos consultores especializados em vistos e imigração: Agende um horário e comece já seu planejamento personalizado.
0

Dicas Canadá

Está pensando em imigrar para o Canadá com o seu filho, ou já está no país e planeja ter um aqui?

É uma grande decisão a ser tomada, mas não se preocupe: juntamos algumas informações e dicas para te deixar mais tranquilo!




1. Meus filhos podem ir comigo para o Canadá?

Podem sim, basta você nomeá-los como dependentes na sua ficha de aplicação, seja ela Work / Study Permit ou PR.



2. Cheguei no Canadá: Meus filhos tem direito à escola pública gratuita?
Criança estudando


Filhos de estudantes internacionais com idades entre 4 e 18 anos (Em Ontario) ou 5 e 18 anos (em British Columbia) podem estudar no ensino público gratuito durante o período de estudo dos pais, desde que alguns requisitos sejam seguidos.

  1. Um dos pais precisa estar matriculado em um programa de ensino superior full time que conceda pelo menos um diploma, em uma instituição pública.
  2. Se a instituição for privada, o programa deve ser full time e de degree (bachelor ou master).  Algumas exceções se aplicam – para não ter erro, é sempre bom conversar com um consultor educacional.
  3. Programas de certificado não contam, a não ser que o outro cônjuge tenha um work permit válido e esteja trabalhando full time – desta forma a matrícula da criança estará atrelada ao responsável que trabalha e não ao que estuda.
  4. Depois da graduação dos pais – com o PGWP (Post Graduate Work Permit) os filhos poderão continuar estudando no ensino público gratuito.

 

Algo para se ter em mente é que no caso das escolas públicas gratuitas, você não escolhe onde seu filho irá estudar. Normalmente, a escola é definida pelo governo de acordo com o local de sua residência. Assim, primeiro você decide onde irá morar, e depois, entra em contato com o School Board de sua cidade para se informar sobre a documentação e requisitos exigidos, já que eles podem variar de região para região.
Os documentos normalmente solicitados são:

  1. Study / Work permit dos pais
  2. Passaporte dos pais e das crianças
  3. Tradução juramentada da certidão de nascimento e histórico escolar dos filhos.
  4. Carteirinha de vacinas.

Considerando que seu filho vá estudar em uma escola pública de forma gratuita, não há limite de data para a matrícula – o que significa que independente da época do ano que vocês cheguem no Canadá, a criança entrará na escola.


No caso da necessidade de pagar a tuition da escola de seus filhos, você poderá matriculá-los em uma escola pública (isso mesmo, pagando) ou em uma escola privada. Lembre-se de que em algumas situações existe prazo para matrícula da criança, então sempre leve isso em consideração no seu planejamento.





3. A adaptação das crianças imigrantes no Canadá.

Se quando precisamos mudar nosso filhos de escola já dá aquele aperto no coração, imagina mudar de país!
Mas quer saber a verdade? Nossos filhos são muito mais fortes do que pensamos – na verdade, na maioria das vezes elas se adaptam melhor que os adultos. Há muitas oportunidades para o seu pequeno interagir com outras crianças – além da escola, existem vários programas extracurriculares relacionados à cultura, esporte, culinária – muitos deles de graça!

Atividades com crianças




4. Mas meu filho ainda não fala inglês! Como ele vai frequentar a escola no Canadá?

Não precisa se preocupar! Lembre-se que o Canadá é um país altamente diversificado – eles estão preparados para receber estudantes de todos os lugares. Ao entrar na escola, ele passa por um teste simples para determinar o nível atual de inglês. Depois, a própria escola vai providenciar um acompanhamento de reforço com aulas de ESL (English as a Second Language) – que só vai terminar depois que seu filho atingir o nível necessário.

Professor e Aluno

E não pense que eles vão pressionar ou sobrecarregar seu filho – eles entendem que cada um tem seu tempo e suas necessidades. Inclusive, nos primeiros meses de escola, se ele não tiver o domínio da língua, eles não são avaliados!



5. O ensino básico no Canadá é diferente do Brasil?

Em alguns aspectos:

  1. A criança só pode começar a frequentar a escola pública a partir dos 4 anos (Ontario) ou 5 anos (British Columbia).
  2. Os professores evitam ao máximo passar dever de casa – devido ao tempo que os alunos ficam na escola (normalmente desde manhã até o início da tarde).
  3. Há bastante aulas ao ar livre, e as crianças têm de 2 a 3 intervalos por dia.

Parece estranho para você? Sim, aqui o foco é que o aluno desenvolva um senso de comunidade – e chegue no ensino médio já preparado para os desafios da vida adulta e decisões profissionais.






Tendo e criando filhos no Canadá.

1. Já estou no Canadá e planejo em ter filhos por aqui. O que devo esperar?

Durante a gravidez:
Para os primeiros exames, você deve passar com o seu médico de família. Depois, a escolha de quem te acompanhará durante o resto de sua gestação: continuar com seu médico, com um obstetra / ginecologista, ou uma midwife (Uma midwife não é igual a uma parteira – para ser midwife, é preciso estudos e formação específica).
Na maioria dos hospitais, você pode ter visitas guiadas onde conhece a estrutura do hospital e dos quartos, recebe informações sobre o processo de admissão, parto e alta – e aí, pode se registrar no hospital onde tem interesse de ter o bebê.
Outro aspecto que pode facilitar muito a sua gravidez é a cultura de trabalho canadense: Os horários de trabalho são flexíveis e muitas empresas permitem trabalho remoto.

Chegou a hora!
Com o seguro de saúde público, você pode ter o seu filho no hospital sem custo nenhum. Agora, se você preferir ficar em um quarto particular, talvez você tenha que pagar uma taxa a mais por isso – depende da disponibilidade.

Diferente do Brasil, não existe um tempo determinado para a alta médica.. assim que os médicos determinarem que você e o bebê já estão estáveis e bem, você pode ser liberada para voltar pra casa – isso garante que a família tenha uma recuperação mais confortável em casa e também que os leitos dos hospitais estejam sempre disponíveis para novas mamães.

Os primeiros passos.
Na maioria dos casos, o apoio aos novos papais não acaba ao sair do hospital: após os primeiros dias, uma enfermeira faz uma visita para checar se está tudo bem tanto com os pais quanto com o bebê – além disso, há todo um suporte emocional e psicológico disponível caso seja necessário – totalmente sem custo.
Aqui, a licença maternidade é de 1 ano, e ela pode ser compartilhada entre os pais. Ou seja, um dos pais pode tirar 6 meses e o outro os demais 6 meses, ou como preferirem. Mas atenção: o parceiro precisa aplicar no site do governo para ter esse benefício!

Hora de voltar à rotina, e agora?
Primeiramente, não se preocupe: Onde quer que você esteja, existem inúmeros grupos de papais e mamães prontos para apoiar e ajudar! <3
Como o ensino público gratuito no Canadá só começa depois dos 4 (Ontario) ou 5 anos (British Columbia), você deve achar um responsável para cuidar de seu pequeno enquanto você estiver trabalhando – para isso, você tem 2 opções: Babá e Daycare.

O custo de uma babá vai depender da experiência, expertise e se ela tem ou não uma formação específica em cuidados com crianças – o preço varia entre $15 e $20 por hora.
Agora, se você escolher o daycare (creche) existem várias opções. Uma creche em horário integral (full time, normalmente das 8am até às 4pm ou 6pm) custa em torno de $1 mil a $1.8 mil.
Recomendamos que você comece sua pesquisa o quanto antes: há mais demanda do que oferta nas creches, por isso, não conte com a sorte. A lista de espera é longa, as turmas são pequenas e parentes de crianças já matriculadas tem preferência – assim, a rotatividade é pequena.

Por conta da demanda, o governo também permite que pessoas físicas abram suas casas para o chamado “family day care” – mas cuidado! Sempre procure um family day care licenciado – essas são auditadas e você tem a certeza que tem seguro, primeiros socorros e a estrutura necessária.

Além disso, existem algumas instituições com programas de daycare – inclusive faculdade. Em algumas delas, se você é um aluno, você tem direito de usar a daycare para o seu filho.
A YMCA – bem conhecida pela sua academia, também possui um programa de daycare, que envolve várias atividades legais para as crianças – mas por isso mesmo, é tão difícil de conseguir vaga. Se você quiser matricular seu filho na YMCA, é bom ficar atento à data de matrícula!

Mae e bebe


Eles crescem tão rápido… Como posso garantir um futuro para meu filho?
Dois programas do governo merecem uma atenção especial:
CCB (Canadá Child Benefit): Nada mais é do que um dinheiro que você recebe para cuidar do menor. Pode ser com estudos, material escolar, roupa, o que seja, desde que seja para o cuidado do seu filho. Você pode aplicar para esse benefício depois de um ano e meio no país (inclusive com Study / Work permit) e a triagem é feita a partir do imposto de renda.
Para mais informações sobre as regras e requisitos do benefício, você pode acessar o site oficial do governo canadense.

RESP (Registered Education Savings Plans) – É uma conta poupança para educação – você deposita uma quantia e o governo também – até a criança completar 18 anos. Qualquer banco está apto a fazer esse plano.
Para mais informações sobre os tipos de plano e como aplicar, acesse o site do Governo do Canadá.




2. Atividades para crianças

Pronto, sonhos realizados! Agora você quer aproveitar tudo o que esse país tem de melhor juntinho do seu pequeno! O que fazer? Juntamos algumas dicas de alguns lugares para vocês se divertirem:

British Columbia



Ontario





Confira + dicas em nosso canal no YouTube:




Quer ter uma vida de qualidade com a sua família no Canadá? Entre em contato com a e-Visa que te auxiliamos em todo seu processo de visto, estudos, trabalho e imigração para o Canadá!

0

Dicas Canadá

Já se perguntou o que é necessário para morar no Canadá?

Aposto que após realizar suas primeiras pesquisas, você se deu conta que ainda não estava seguro de que essa seria a escolha perfeita para você e sua família. Na verdade, o que realmente acontece é que você se encontra perdido em diversos termos como: Express Entry, BCPNP, CIC, LMIA, e pode se sentir até mais perdido do que no começo.

A verdade sobre o que é realmente necessário para se adaptar no país, você provavelmente só vai ouvir através de amigos que vieram morar no Canadá. Mas reunimos alguns sinais de que você já está pronto para imigrar ou morar no Canadá e que vão além de todas as regras:

A) Você está pronto para fazer muitas pesquisas sobre o Canadá

Imigração envolve muitas etapas e conhecer melhor cada uma delas é fundamental para não ser pego de surpresa. Claro que o consultor vai te dar todo o suporte, mas você diminui custos e otimiza seu tempo se tiver um conhecimento prévio.


B) Você tem as habilidades necessárias para imigrar

Por mais que o Canadá esteja recebendo imigrantes, não são todas pessoas que se encaixam no perfil buscado pelo governo. Ter conhecimento da língua, formação superior e já ter trabalho na área de formação contam MUITOS pontos e te ajudam muito a ter mais chances no processo.


C)  Você procura por melhor qualidade de vida e trabalho

Se você está procurando um novo estilo de vida, ter agenda de trabalho flexível e respeito aos horários de trabalho, você está no caminho certo! Além disso, a força do dolár Canadense e o poder de compra ajudam muito a ter acesso mais fácil a bens materiais e experiências.


D) Você está pronto para assumir riscos

Mudar de país envolve muitos riscos. São as reservas financeiras que precisam estar equilibradas, a mudança de rotina que assusta, viver em uma nova língua, trabalhar com outra cultura, etc. Mas tudo é mais fácil quando você está disposto a uma nova vida e está preparado mentalmente. E no fim, tudo dá certo, né?


E) Você entende que morar no Canadá significa abrir mão de algumas coisas

Você vai mudar de país: não tem como tudo continuar igual, certo? Talvez você tenha que abrir mão do seu carro, do seu emprego e até se distanciar de conhecidos. Mas por outro lado você irá construír e conquistar outras coisas por aqui. Tudo na vida são escolhas e mudar de país é mais uma fase desse processo.


Além disso reunimos algumas dicas importantes para você nesse processo:

1 – Pesquise MUITO

É muito natural ficar com muitas dúvidas no começo, então a dica é pesquisar e entender como funciona o básico. No nosso canal do youtube temos MAIS DE 100 VÍDEOS para te ajudar a se planejar melhor.
 
 

2 – Defina um objetivo

Pode ser que você tenha vontade de estudar inglês em outro país, pode ser que você queira estudar em uma universidade ou até mesmo fazer uma pós-graduação ou doutorado. E pode ser que você queira apenas trabalhar. Só você poderá definir esse objetivo, então siga a dica 1 e tome uma atitude. Você pode contar com nossos serviços de Estudos e também Imigração para te ajudar nessa decisão.
 
 

3 – Escolha uma cidade

Há muitas cidades no Canadá que irão te oferecer oportunidades e experiências únicas! Os principais destinos são Vancouver e Toronto, mas dependendo do seu objetivo cidades como Montreal e Calgary podem ser uma ótima opção. Se quiser conhecer mais sobre o Canadá e as cidades, acesse nosso infográfico comparativo.
 
 

4 – Nível de inglês e/ou francês

As línguas oficiais aqui são inglês e francês. Mesmo que você decida vir para estudar uma delas, é interessante não chegar sem ter pelo menos uma noção básica, afinal, você vai viver 24 horas aquela língua! Para casos de curso superior, você precisará comprovar certo nível de proficiência ainda no Brasil, então se prepare e estude. Conhecimento nunca é demais!
 
 

5 – Orçamento

Mudar para um novo país requer alguns gastos como passagem de avião, documentação e vistos, aluguel de imóvel, transporte, etc. Então vale a pena começar a se planejar financeiramente desde já, independente de qual será seu objetivo. É sempre bom ter uma reserva para eventuais emergências ou imprevistos, certo?


Conclusão

Caso você se sinta pronto para essa mudança, recomendamos fortemente uma conversa com um profissional de imigração, para definição de perfis, estratégias, conhecer prazos de vistos e ter todo o direcionamento de um time regulamentado pelo governo Canadense. Conte com a e-Visa Immigration para isso e agende agora um horário!

Precisa de ajuda com o seu processo de vistos ou imigração? Entre em contato com o contact@evisaimmigration.com  
0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 5NO NEW POSTS